terça-feira, 18 de novembro de 2014

DOM EUGÊNIO SALES E AS TAPEÇARIAS DE N.SRA DE COPACABANA

Cerca de 6000 fiéis acompanharam, há alguns anos,  o velório de Dom Eugênio Sales no Rio. Uma pomba branca, símbolo do Espírito Santo, pousou sobre o caixão e ficou durante toda a tarde perto do corpo. Dom Eugênio morreu tranquilamente enquanto dormia, uma morte serena de quem seguiu seu caminho ajudando os fiéis e praticando a justiça.
Durante o regime militar ele, como chefe da Igreja Católica, ajudou perseguidos e refugiados políticos a saírem do país.
“Estima-se que 4000 a 5000 pessoas tenham recebido ajuda do então cardeal arcebispo do Rio para fugirem.” Fui acompanhando pelos jornais, especialmente a Folha de São Paulo, as notícias referentes  a Dom Eugênio e relembro a sua atuação justa e coerente diante de outros fatos, não políticos. Na década de 1970, recebi a encomenda de realizar 3 projetos de tapeçaria para a Igreja N. Sra de Copacabana, no Rio de Janeiro. O projeto era de grande responsabilidade e eu, como artista, me empenhei de corpo e alma na sua realização. As tapeçarias foram executadas no Rio por minha prima Maria Ângela Magalhães que ali dirigia um artesanato da mais alta qualidade. Maria Ângela, com seu talento artístico, interpretava os projetos transformando a técnica do pastel no bordado. Ela mesma tingia as lãs e orientava as bordadeiras. As tapeçarias da Igreja eram enormes, duas para a nave principal e outra, também monumental, para a capela ao lado. Tudo isto foi feito com muito amor e dedicação. Resolvi não cobrar da Igreja: “Meus projetos são de graça!” isto foi declarado na época, mas o cardeal, que liderava as reuniões, não concordou com a minha resolução. “Todos os outros artistas cobraram, esta artista precisa receber também.”
Decidiram me enviar um cheque com o valor dado pela equipe de produção.
Por incrível que pareça, esta atitude do cardeal me possibilitou realizar a minha primeira grande viagem à Índia.
Naquela ocasião eu não tinha recursos para as passagens, foi de grande importância para mim a decisão que foi tomada.
Até hoje relembro com muita gratidão este fato e costumo repetir: “Foi o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Eugênio Sales que me possibilitou realizar a minha primeira grande viagem à Índia.” Agora posso dizer que o cardeal me deu a oportunidade de iniciar um diálogo inter religioso.

*Fotos de arquivo e da internet


VISITE TAMBÉM MEU OUTRO BLOG “MEMÓRIAS E VIAGENS”, CUJO LINK ESTÁ NESTA PÁGINA.

Um comentário:

  1. Maria Helena,
    Aqui é a Mariana, filha do Felipe e neta da Ângela.
    Estou pesquisando sobre tapeçaria e mais especificamente sobre o trabalho da minha avó. Encontrei seu blog nessa pesquisa, assim como um texto dela própria, sobre as tapeçarias do Iberê.
    Pf, se você tiver histórias, referências, imagens... qualquer coisa sobre as tapeçarias, me conte! Muito emocionante esse encontro aqui.
    Um beijo e obrigada, Mariana
    Meu email: mariana.h@terra.com.br

    ResponderExcluir